21 de set de 2008

Desígnios da Imaginação.

A imaginação não obedece aos desígnios do mundo.
Quiçá, escuta os da alma. Mas no fim, segue apenas
aos próprios desígnios. A imaginação não obedece.
Ela, quando muito, pede passagem e vai.

Imaginários servem tanto à própria imaginação
quanto esta os serve.

Marcadores: ,

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home